Curitiba: Urbanismo Essencial

Curitiba: Urbanismo Essencial

Título: CURITIBA: URBANISMO ESSENCIAL
Autor: Pougy, Geraldo
Formato do livro: 13 cm x 26 cm
Número de páginas: 192 p., miolo em P&B
Ano para lançamento: 2020.

Geraldo Pougy é arquiteto e pesquisador na área de planejamento e gestão de cidades (atualmente fazendo doutorado na PUC Paraná). Trabalhou com muitos dos integrantes do Grupo de Curitiba nos anos em que integrou a equipe do escritório Jaime Lerner Planejamento Urbano e que serviu na Prefeitura de Curitiba, quando dirigiu a Fundação Cultural de Curitiba na primeira gestão de Rafael Greca.

Curitiba: Urbanismo Essencial é resultado de uma pesquisa que teve por objetivo descrever o modo de trabalho adotado pelo grupo de arquitetos e funcionários públicos que, a partir da nomeação de Jaime Lerner como prefeito de Curitiba, em 1971, empreendeu uma das mais notáveis transformações urbanas ocorridas do mundo no final do século 20.

O Grupo de Curitiba – como são chamados no livro – formou-se com a criação do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, o IPPUC, e depois se espalhou por toda a administração municipal. Caracterizou-se desde o início pela grande capacidade de fazer acontecer e isso atraia mais pessoas. Gostavam de ser práticos. Talvez por isso mesmo, e por estarem concentrados em empreender a transformação urbana, nunca se preocuparam em registrar, sistematizar e passar adiante a maneira de trabalhar que inventaram.

Esse modo de trabalho, esse saber fazer do Grupo de Curitiba, pode ser considerado um saber tácito e passou despercebido para a maioria dos que pesquisaram a transformação urbana que fez a fama de Curitiba. No entanto, para o autor do livro, o arquiteto Geraldo Pougy, esse modo de trabalhar poderia ser considerado como o principal legado da experiência do grupo à frente da prefeitura.

Explicitar esse saber fazer foi, justamente, o objetivo da pesquisa realizada pelo autor e a conclusão que o livro apresenta é que, mesmo tendo sido criado de forma intuitiva, o modo de trabalho surgido dentro da Prefeitura de Curitiba nos anos 1970 tem muitas semelhanças com as práticas que hoje são conhecidas pelo nome de práticas do design.

São práticas de planejamento e gestão adotadas por prefeituras que se destacam hoje em dia pela inovação na administração de cidades. Nesse sentido, o Grupo de Curitiba pode ser considerado um exemplo de pioneirismo, o que explica boa parte da atração exercida por Curitiba entre pesquisadores de todo o mundo.

Num ano de eleições municipais em todo o Brasil, o livro Curitiba: Urbanismo Essencial pretende estimular uma reflexão sobre o papel que as prefeituras podem ter na melhoria da qualidade de vida da população brasileira e promover o interesse pela pesquisa sobre a experiência de outras cidades. Aponta para a dimensão política da administração de cidades, para a importância de incorporar valores ao planejamento e para a necessidade de buscar a legitimidade mais do que a técnica.